maio 22, 2007

Erasmo Carlos


Os amigos do amigo do Rei

Já dizia o velho ditado: Time que ganha não se mexe. Mas no caso do Tremendão Erasmo Carlos, a coisa foi diferente devido à distância do lançamento dos projetos. Passados exatamente 27 anos de lançamento do seu álbum antológico “Erasmo Carlos Convida” o amigo do Rei divide o canto com amigos de peso, Nara Leão, Rita Lee, Roberto Carlos, Tim Maia, Maria Bethânia, Gal Costa, Gilberto Gil, A Cor do Som, Caetano Veloso, Jorge Ben Jor, As Frenéticas e Wanderléa.

Erasmo repete o que deu certo e reúne um timaço de amigos e parceiros para um segundo volume do projeto intitulado “Erasmo Carlos Convida II”. O novo disco faz releituras de músicas que marcaram a trajetória do Tremendão.
“Erasmo Carlos Convida - Volume II” (Indie Records), traz nomes da música nacional marcantes no cenário em doze faixas. “Coqueiro verde” (Lulu Santos), “Olha” (Chico Buarque) e “A banda dos contentes” (Skank), aparecem num clima descontraído com emocionantes interpretações. A romântica “Não quero ver você triste” com a bela voz de Marisa Monte e “Cama e mesa” que virou um samba com o popular Zeca Pagodinho, ficaram modernas e fazem a diferença no disco.

“Sábado morto” com Los Hermanos ficou linda com Erasmo dividindo a voz com Rodrigo Amarante. “Ilegal, imoral ou engorda”, ficou atualizada como um rock de garagem com a voz e guitarra de Adriana Calcanhoto.
“De tanto amor” teve o carimbo do Djavam, assim como “Vou ficar nu pra chamar sua atenção” com a Simone. Kid Abelha contribui com “O portão” canção já reformulada por outros artistas (Lafayette e os Tremendões e os Titãs), aparece mais discreta sem comprometer.

A melhor de todas as interpretações ficou por conta dos Cariocas em “Pão de açúcar”. O disquinho fecha com chave de ouro com Milton Nascimento em “Emoções”.

Vejo este disco como um presente que Erasmo ofertou aos seus fãs e não como um elemento pra inflar uma carreira já consolida há anos. Vale muito conferir.

2 comentários:

Murillo Pompermayer disse...

Excelente o seu texto sobre este maravilhoso disco... É, sem dúvidas, um dos melhores deste ano - se não o melhor. Erasmo é genial, e tem que ser reconhecido como tal.
Parabéns, Elias.

Henrique Kurtz disse...

Elias, gostei muito dessa matéria!
Sua inspiração merece nota 10!