maio 24, 2007

Evinha, Golden Boys e Trio Esperança


Evinha, Golden Boys e Trio Esperança se apresentam no show “Gold Herança”, no Garden Hall.

Os sete irmãos juntos no palco em um show inédito no país.

Pela primeira vez no Brasil, os irmãos da família Correa se reúnem para um grande show. O palco do Garden Hall receberá nos dias 01 e 02 de junho às 22h, o show “Gold Herança”. No repertório, momentos especiais das carreiras de Golden Boys, Trio Esperança e sucessos da carreira solo de Evinha. Na banda que os acompanhará, a novíssima geração estará representada por seus filhos, além do maestro e pianista francês Gerard Gambus, marido de Evinha.

“Tudo era sol, era ré, mi, fá... ai que saudade me dá...” Como dizem os versos da canção “Gold Herança”, de autoria de Gerard Gambus e Carlos Colla, a família Correa sempre foi um exemplo de musicalidade. Começaram suas carreiras muito jovens. Por volta de 1958, os primeiros a estrearem oficialmente na música foram os irmãos Ronaldo, Roberto e Renato juntamente com o primo Valdir. Surgia então os Golden Boys, que começaram a carreira cantando versões em português para baladas e rocks internacionais conhecidos do grande público em programas de calouros nas rádios do Rio de Janeiro. Conforme a Jovem Guarda assumia posição de destaque na música brasileira, o grupo aumentava seu prestígio. Os Golden Boys também tiveram nobre participação nos Festivais, excursionaram por países da América do Sul e gravaram diversos discos.

Mas a família é grande... e os irmãos mais novos observavam atentamente tudo que acontecia com muito brilhantismo com seus irmãos mais velhos dos Golden Boys. Foi aí que em 1961, o Trio Esperança iniciou também a sua carreira, por iniciativa do irmão mais velho Roberto Correa. O Trio Esperança, formado por Regina, Mário e Evinha gravou seu primeiro disco em 1961, quando os integrantes tinham 15, 13 e 10 anos, respectivamente. O sucesso veio com "Filme Triste", versão brasileira de "Sad Movies". Em seguida, outros hits do trio vocal como “O Passo do Elefantinho”, “A Festa do Bolinha”, “Gasparzinho” estiveram à frente das rádios e programas de tv da época. No fim da década de 60 Evinha partiu para carreira solo, sendo substituída por sua outra irmã, a caçula Mariza, ou Marizinha como era conhecida. Com a nova formação, o grupo lançou outros discos de sucesso.

Após sua saída do Trio Esperança, Evinha começou mais uma bela trajetória. Seu primeiro sucesso foi “Casaco Marrom”. Em 1969, conquistou o primeiro lugar no IV Festival Internacional da Canção com a música "Cantiga por Luciana". Outros sucessos fizeram parte da história de Evinha, como: "Teletema", "Que Bandeira", "Como Vai Você", "As Canções que Você Fez para Mim" e "Sonho Lindo". Gravou músicas brasileiras em um disco de Paul Mauriat em 1977, excursionando com o maestro francês pelo Japão e pela China, como crooner da orquestra. Casou-se com o pianista da orquestra e passou a viver na França.

Com o término do Movimento Jovem Guarda, o Trio Esperança também chegou ao fim. Mário se tornou empresário do ramo de educação e as duas irmãs Mariza e Regina também foram morar na Europa, a convite de Evinha. Por lá, voltaram a cantar e criaram uma nova formação do Trio Esperança, gravando 3 álbuns que geraram uma turnê de sucesso em toda a Europa, Canadá, países da África, etc. Em seus discos, além de participações de cantores brasileiros como Gilberto Gil, Milton Nascimento, Ivan Lins e Caetano Veloso, tiveram também nomes internacionais como Charles Aznavour e Michel Fugan. Conquistaram 03 discos de ouro e sempre com muito sucesso de público e crítica, participaram de Festivais importantes como o de Montreux, se apresentaram nos maiores estádios e também por diversas vezes no tradicional Teatro Olimpya, o mais importante da França. Evinha, Mariza e Regina desenvolvem hoje um excelente trabalho conquistando a Europa e o resto do mundo divulgando a MPB. No momento, planejam um novo álbum que trará novas participações que em breve serão divulgadas.

Já o grupo Golden Boys nunca parou de cantar e atualmente faz shows por todo o Brasil. Na década de 80, atuaram também como produtores de grandes nomes de sucesso como Beth Carvalho, Gonzaguinha e Elymar Santos. Atuam também nos estúdios gravando jingles, vinhetas para rádios e coro para diversos artistas da MPB. Além disso, compuseram hits que foram cantados não só por ícones da Jovem Guarda, mas também por nomes atuais como Roupa Nova (canção “Anjo”), Xuxa (canção “Doce Mel”), Alcione (“Pode Esperar”), Fábio Jr (também a canção “Anjo”), entre outros artistas.

Em um clima de festa, os irmãos se reúnem nos dias 01 e 02 de junho para festejarem juntos essa história de sucesso.

SERVIÇO

Show: Gold Herança.
Dias: 1 e 2 de junho.
Local: Garden Hall (Av. Das Américas 3.255 – 2º Piso – Barra da Tijuca – Rio de Janeiro.
Telefone: (21) 3151-3302.
Ingressos: R$40, R$50 e R$60.
Classficação etária: 18 anos

3 comentários:

Henrique Kurtz disse...

Vai ser demais esse show do Goldenrança, hein amigo Elias?!?!
Um momento histórico para todos que curtem boa música e Jovem Guarda.

sonia disse...

Há muito tempo,não vou a um show tão maravilhoso como este. Não só eu, como toda a "tchurma" que foi comigo amamos, cantamos e recrdamos nossa juventude. Todo o teatro parecia ter entre 55 e 65 anos, e não pararam de cantar nem dançar um minuto. Valeu , mas valeu muito!!!!!Parabéns!Façam mais shows como este!
Sonia Josuá Rozenbaum

celso cortez disse...

Cara, legal saber um pouco sobre esse trio. Só conhecia a musica filme triste por causa da minha mãe. Mas isso foi há 20 e poucos anos quando eu tinha apenas 7 anos de idade. Essa semana, me pediram pra eu passar umas musicas anos 60 e 7O pra um CD. Foi então que eu achei as musicas desse trio e pude conhecer melhor o trabalho deles. Interessante. Me deu vontade de ter nascido nessa época. Porque agora sei porque minha mãe admirava tanto esse trio. Não havia tanta tecnologia como hoje nos meios musicais. Mas as musicas são arrebatadoras, simples, agradáveis de se ouvir.