maio 28, 2007

Discoteca Iê Iê Iê


Discoteca IÊ IÊ IÊ

Abastece as noites cariocas com clássicos antigos da música pop


Dois amigos que curtem música boa e sem limites de tempo. Um é operário do mundo virtual e especialista em fazer capas de Cds, sites e tudo que for ligado ao mundo digital. Este é o Rafa El Gonzalez, que com o passar dos anos descobriu que a música boa é atemporal e com o passar dos anos vem acumulando experiência trabalhando em casas noturnas fazendo o público dançar e curtir a música da Discoteca Iê Iê Iê.
“Minha atuação no meio musical foi discreta. Comecei como seletor sonoro e não me considero um DJ de verdade, por enquanto. No começo dos anos 90 trabalhei em algumas casas da Zona Sul do Rio. Nessa mesma época conheci o Bacalhau. Meu trabalho até então era restrito a criação de trabalhos gráficos, capas de CDs além de alguns cartazes, material de divulgação e sites. O surgimento da Discoteca Iê Iê Iê foi natural. Essa é a primeira vez que participo de um projeto coletivo”, confessa El Gonzalez.

A diferença entre ser seletor musical e Dj, o próprio Gonzalez define:
“Acredito que a diferença esteja basicamente na seleção do repertório executado. Nosso repertório é baseado em pesquisas de músicas a partir dos anos 50 até metade dos anos 70. Isso abrange músicas conhecidas em versões obscuras”.

Já o seu parceiro Bacalhau (baterista), é um expoente da cena musical carioca. Foi fundador e integrante da formação clássica do lendário Planet Hemp, onde teve sucesso e glamour. Por desentendimentos e sempre fiel a veia roqueira, deixou o grupo e integrou o já aclamado trio Autoramas, onde já faturou alguns prêmios no cenário musical.
“A Discoteca Iê Iê Iê surgiu da vontade de ouvir musicas que venho garimpando há muitos anos. Tudo que encontrava e achava interessante, comprava. Discos de vinil ou CD, porque não tinha ninguém tocando as músicas que eu e meus amigos estávamos com vontade de ouvir. Agora juntou a fome com a vontade de comer”, sentencia Bacalhau.

Na realidade, tudo começou com o envolvimento desses aficionados por músicas com a Jovem Guarda. Mas quem pensa que a Discoteca Iê Iê Iê Iê é um repertório apenas da Jovem Guarda, engana-se.
“O fato de termos o Iê Iê Iê no nome, serve apenas para marcarmos uma época a nossa discotecagem e não é apenas um gênero, é uma referência e não uma bandeira. Tanto é que o repertório é feito por artistas que tenham representatividade à boa musica dos anos 60 e 70”, avisa Bacalhau

“A idéia da Discoteca Iê Iê Iê, surgiu naturalmente assim que o Lafayette começou a fazer shows com Os Tremendões. Fomos convidados para discotecar antes e depois dos shows. Tudo isso aconteceu por conta, na época, estarmos ouvindo basicamente somente Jovem Guarda. Hoje para os shows do Lafayette e os Tremendões a Discoteca Iê Iê Iê é a parte sonora que complementa a idéia de Baile Jovem Guarda muito por conta da seleção musical executada. Assim a Discoteca Iê Iê Iê pode se apresentar junto de qualquer outro artista e estar sempre disponível para festas diversas, coquetéis, recepções, casamentos, enterros e outras festividades”, completa Gonzales.

Ainda sobre o repertório, El Gonzales esclarece: “O repertório é feito por artistas que tenham representatividade à boa musica a partir dos anos 50, mas sempre baseado nos anos 60 e 70. Assim, tanto artistas anteriores a esse período que influenciaram esses, como artistas modernos que foram influenciados, entram no repertório. O que vale é o som e as influências que esse passa a quem esteja ouvindo. Por exemplo: para os shows do Lafayette e os Tremendões o objetivo é tocar músicas de artistas com teclado e orquestra. Paralelamente a Discoteca Iê Iê Iê. Tenho uma pesquisa de artistas mais modernos para discotecagen que faço fora desse projeto. Assim volta e meia musicas de artistas como, Chris Joss, por exemplo, entram no repertório sempre que tenham uma sonoridade de época”.

Texto publicado originalmente no jornal International Magazine edição 131

6 comentários:

henrique kurtz disse...

Esse projeto da Discoteca Iê Iê Iê é muito legal.
Já tive a oportunidade de ouvir e achei o maior barato, bitcho!
Eles tinham de ter residência em alguma casa noturna do Rio.

Anônimo disse...

Legal, gosto muito de curtir coisa boas. Podiam publicar onde rolar um som !
Muito bom o blog!

El_Gonzalez disse...

opa! eu queria agradecer aqui ao 'El' Nogueira pela a força em nos divulgar e avisar que já estamos em negociações avançadas para tocarmos como residentes em um casa noturna no Rio.... em breve mais novidades

Discoteca disse...

ahnnn esqueci de dizer que quem quiser entrar em contato para maiores informaçoes sobre a DISCOTECA IE IE IE basta enviar um email para discotecaieieie@gmail.com

Nick Ellis disse...

Show de bola, Bacalhau e Rafa são dois grandes craques!

PEDRO MARCILIO disse...

NÃO GOSTEI DA DECLARAÇÃO DO SR PAULO DEBÉTIO, E NÃO CORRESPONDE A VERDADE. POIS ELE NUNCA FOI MEU PRODUTOR, E NAQUELA ÉPOCA NA GRAVADORA POLYDOR ELE NÃO TINHA NENHUMA FUNÇÃO. EU GRAVEI 6 LPS DE SUCESSO NA POLYDOR, COM GRANDES VENDAGENS, E MEU PRODUTOR SEMPRE FOI O MEU AMIGO JAIRO PIRES. NADA TENHO CONTRA DEBÉTIO. MAS USAR O MEU NOME PARA SE PROMOVER COM MENTIRAS É RIDICULO. ELE É UM OTIMO COMPOSITOR...MAS NÃO TENHO QUALQUER RELAÇÃO COM O SR DEBÉTIO, DESEJO A ELE SUCESSO, MAS SEM USAR MEU NOME. OBRIGADO.... MARCUS PITTER. O MEU EMAIL É marcuspitter@gmail.com