janeiro 21, 2009

Francisco Miceli é um daqueles jovens carioca que fez comunicação na PUC-RJ. ‘Mas a história dele, na música, começa quando inicia o estudo de violão clássico no começo dos anos 80. Aluno de mestres como: Hélio Ribeiro (Helinho do Banjo) e Genésio Nogueira, Chico Miceli – como é chamado pelo meio musical – já tinha escolhido a profissão muito antes de estudar violão no Conservatório di Santa Cecília em Roma e de ter passado pelas mãos dos professores citados. Na verdade o instrumento que ele havia escolhido era outro. “Interessei pela guitarra, muito, antes da música”, diz Miceli. Chico tem em seu currículo passagens, como músico, com vários artistas de renome, além do trabalho de produtor, arranjador e criador de trilhas para filmes e TV. Morou na Europa onde trabalhou e desenvolveu, mais, suas qualidades técnicas musicais tocando outros estilos que não fosse somente rock. Em conversa – exclusiva – Chico que agora reside no Rio de Janeiro e trabalha em seu estúdio – Riff – em Copacabana, contou um pouco de sua história. O Cara é fera no que faz! Pude acompanhar de perto o trabalho dele como produtor. Ele está finalizando o disco do cantor e compositor Renato Oliver. Acompanhe abaixo as falas de Chico Miceli.

Fotos e reportagem
Elias Nogueira



- Como foi que você iniciou sua carreira?
- Bem, me interessei pela guitarra-antes mesmo da musica- quando em 80 assisti ao show do Van Halen no Maracanãzinho. O prazer que ele passava tocando, me fez pensar "hum deve ser legal".
Profissionalmente meu primeiro trabalho foi com um cara chamado Bena Roberto, um baiano que sinceramente não sei que fim levou.

- Com quantos
anos.
- Tinha uns 18 anos.

- É coisa de família?
- Não!Lá em casa todo mundo é advogado. Quando souberam que seria musico foi um “Deus nos acuda”

- Você é músico de escola?
- Não exatamente. Não tenho nenhum titulo de estudo musical, mas estudei com vários professores particulares, e também no conservatório de Santa Cecília em Roma. Sei ler partitura, arranjar e orquestrar também. Mas tudo muito empírico.

- Você tocou, no Brasil, com alguns artistas de renome.
- Sim - Sidney Magal, Ivan Lins, Luis Melodia, Rosana, Biafra, Renata Arruda... Recentemente toquei com a Karla Sabah. Gravei com a Xuxa, com o José Augusto com a Rosana, dentre outros.

- A década de 80 foi importante pra você.
- Os anos 80 foram os anos da minha paixão pela música, da minha “formação” em termos de gosto, som, atitude. Tinha Van Halen, Police, Toto, Rush. Tinha toda aquela geração de guitarristas de Rock virtuoses tipo Joe Satriani, Steve Vai, Eric Johnson, Steve Morse e vários outros. Ate então os roqueiros eram, aqueles, caras, doidões, que não sabiam tocar direito, minha opinião, quando o músico “melhorava” virava “jazzista” não queria mais saber de rock ’n roll. Já ouvi muito: “É rock, mas é bom”. Então chegou o Eddie Van Halen e, a partir dele, toda uma galera que tocava mesmo e era roqueira mesmo, com pegada e atitude. Sou, bem, filho dessa geração, apesar de amar muito o jazz e ter até trabalhado, muito, tocando jazz e de ter aberto a cabeça para outras coisas também.

- Fale-me de sua carreira aqui no Brasil?
- Pois então: aqui trabalhei com o Ary Sperling, que é um arranjador e produtor que fazia muita coisa do pop-brega brasileiro, tipo: Rosana, Magal etc. Aí, fui tocando com esse pessoal e também gravava algumas coisas para a rede Globo - que no inicio dos anos 90 desmantelou a “Orquestra da Globo” e começou a contratar produtores musicais. Alguns deles são meus amigos até hoje e desde então gravo coisas para os programas da TV Globo que eles produzem. Aconteceu uma, pequena, pausa de 12 anos que foi o período que vivi na Europa. O Rodolpho Rebuzzi meu amigo guitarrista e produtor da Rede Globo foi quem me apresentou o Ary e Max Pierre. Depois fui conhecendo outros.

- Você tem uma carreira internacional.
- Em 1993 fui convidado para acompanhar uma cantora napolitana chamada Teresa de Sio. Fui para a turnê de três meses, mas voltei mesmo definitivamente para o Brasil, em 2005! Lá toquei com vários artistas e músicos de jazz e, também, orquestras televisivas na RAI e Canale 5. Fiz uma escola de música, casei, tive filhos.

- Quantos discos lançados?
- No meu nome nenhum! Mas participei de vários aqui e na Europa.

- Você é compositor também?
- Sim.

- E na produção? Como você iniciou?
- Sempre fui instrumentista, me assustava a idéia de dedicar mais tempo operando maquinas que tocando. Mas, com a idade e os cabelos brancos, comecei a me interessar por produção e em 2002 ainda em Roma comprei esse equipamento que uso hoje e que trouxe para o Rio quando me mudei em 2005. Trouxe tudo! Até mesa de computador!


- Quem, você, está produzindo atualmente?
- Atualmente o Renato Oliver, Iran Mello e Edinho Queiroz. Além disso, faço publicidade também.

- Você tem estúdio? Fale-me dele. Como funciona? Onde fica?
- Sim. Tenho uma sala no prédio onde também funcionam a Pró - Music, a Guitar Tech e outras lojas de música e luthiers, também! Diria que é o paraíso dos músicos no Rio de Janeiro. É um estúdio pequeno, modesto, mas suficiente para realizar, bem, as idéias e também confortável para receber as pessoas. Fica na Rua Barata Ribeiro 391, sala 1004. Copacabana.



RIFFSTUDIO. Contatos e links: Rua Barata Ribeiro 391 sala 1004. Copacabana Rio de Janeiro (21) 2256-0085 produtora. (21) 9421-2132 - 9673-8895 www.riffstudio.com.br www.myspace.com/chicomiceli
www.myspace.com/riffstudiobr

4 comentários:

Anônimo disse...

Cara! Vc é muito bom! Sempre com coisa boas e revelatórias!
sucesso!
Marina

alyson disse...

Chico Miceli, meu professor, de guitarra
o cara é mt bom saca td e mais um pouco , tive um perioodo com , e me afastei um pouco das aulas, por outros motivos
hj com 14 anos toco , e espero em breve voltar a ter aulas e melhorar , e quem sabe um dia chegar aos seu pés
abração saudades , Ass : Alyson b dos Reis

Priscila Dourado disse...

Olá, vi no seu post um comentário sobre Bena Roberto, pelo que vi tem algumas coisas sobre ele na net, como vídeo no youtube, que mostra que o mesmo continua batalhando pelo seu trabalho, que por sinal, é muito bom! Priscila - Bahia

Elias Nogueira disse...

Pra quem não sabe, tenho um blog mais atualizado que este: http://eliassnogueira.blogspot.com.br/

visitem e mandeu sugestões. Obrigado por tudo.