junho 23, 2007

Tianastácia

Tianastácia e a sétima laranja

Tianastácia, Maurinho Nastácia (voz e violão), Antônio Júlio Nastácia (guitarra), Beto Nastácia (baixo), Glauco Nastácia (bateria) e Podé Nastácia (voz e violão) são como uma máquina que funciona no tempo certo. Com mais de dez anos de carreira, mais experientes e conseqüentemente mais maduros e, por isso mais precisos como um relógio genuinamente suíço, o grupo lança o seu sétimo cd “Orange 7”.
Título inspirado no clássico filme e livro “Laranja Mecânica” (“Clockwork Orange”). Em conversa exclusiva, Maurinho Nastácia (voz e violão), fala sobre o disco, composições e outras coisas interessantes.


Gostaria que vocês falassem do processo de criação? Vocês acham que se reunirem em um sítio e se manterem excluso influencia nas composições? Pergunto isso, porque existem vários compositores que fazem ao contrário.
O processo de criação do Tianastácia é quase sempre igual. A gente procura um sítio, ou algum lugar afastado da cidade para poder começar os trabalhos. No Orange 7, fomos para uma fazenda em Igaratinga, perto de Belo Horizonte (MG), ficamos duas semanas. A banda, o produtor, Marcelo Sussekind, e algumas pessoas da equipe da banda. O repertório já estava mais ou menos resolvido pelo guitarrista, Antônio Julio e por Marcelo Sussekind. Durante essas duas semanas, fizemos os arranjos e acabamos compondo três ou quatro, lá mesmo. Fomos para o estúdio Máquina, que é do Skank, e gravamos em duas semanas. Mixamos no estúdio Casa do Mato, no Rio de Janeiro e masterizamos na Classic Máster, também no Rio de Janeiro, com Carlos Freitas. Com o disco pronto, fomos para uma outra fazenda, em Itaguara, para ensaiar as músicas, com a presença também do produtor.

É a primeira vez que vocês incluíram teclados em disco? Qual o diferencial? Vocês utilizarão em shows?
Não. Já utilizamos teclados antes em discos anteriores. O diferencial deste trabalho é que o teclado entrou de uma forma mais forte dentro dos arranjos, apesar de em apenas metade do disco. É a primeira vez que assumimos os teclados em show. Convidamos um músico para participar não só dos teclados como também guitarras, violões e vozes.

De que forma os membros da banda contribuem para o disco, além de tocarem seus instrumentos?
Todos os componentes da banda compõem. Uns mais, outros menos. Mas nos arranjos e idéias, todos estão muito presentes.

Laranja Mecânica é um livro e filme antigo. De que forma o descobriram?
Essa história do Laranja Mecânica apareceu depois do disco pronto. Na hora de pensar no figurino, no cenário, etc, essa idéia apareceu junto com as cores que o projeto estava seguindo. Laranja preto e branco. Foi uma conseqüência. Todos da banda já tinham assistido ao filme, então foi uma coisa natural.

Sétimo disco de carreira, é pra lá de uma confirmação de um grupo que sabe muito bem o que quer. O Que mudou nesses anos de estrada? O que foi bom e o que foi ruim nisso tudo?
Acho que estamos numa fase em que sabemos muito bem o que queremos com nosso trabalho. Essa formação já está junta a quase dez anos. Só de olhar um para o outro, já sabemos o que vai acontecer. Por isso acho que estamos muitos bem. O que de ruim aconteceu foram às barreiras que temos que transpor, que a própria vida nos mostra, e às vezes, são escolhas difíceis, mas fazem parte.

Esse disco é independente? Até que ponto isso é bom?
Esse disco é completamente independente e está sendo todo planejado por nós, e por vários parceiros que fomos conquistando durante nossas vidas. Estamos muito satisfeitos com os resultados que estamos conseguindo com nossa organização fora do palco. Tudo muito certo. Não estamos fechados para nenhuma gravadora se elas vierem a somar, realmente, no nosso trabalho.

Nesses mais de 10 anos de estrada o que foi mais gratificante?
O mais legal de tudo é que o Tianastácia, com 11 anos de estrada. Estamos muito felizes e com muita vontade de trabalhar. Nunca tivemos nenhum tropeço tão forte a ponto de nos fazer desistir dos nossos sonhos. Vivemos da banda e temos muitos fãs que nos fazem acreditar que estamos no caminho certo.

Daqui pra frente o público pode esperar o que do Tianastácia?
Muita vontade, muita força para continuar nossa caminhada e muita música boa para continuarmos cantando junto.

Publicado originalmente em junho de 2007 no jornal International Magazine na edição 132

Foto de divulgação por: Kelsen Fernandes

Um comentário:

Jéssica disse...

aeww maurinho amndou benzasso na entrevista...
o novo cd está mostrando o amadurecimento da banda..
apenas está mais pop em vez do rock´n roll de antigamente mais a letra das musicas e os integrantes da banda que nos recebem em varios shows sempre com mto carinho e atenção estão ótimos parabens para o tia...
mais informações...
www.tianastacia.com.br