setembro 25, 2008

Documentário “Titãs, a vida até parece uma festa”, dirigido por Branco Mello e Oscar Rodrigues Alves, está na mostra competitiva do Festival do Rio 2008.

Longa-metragem foi selecionado para o Festival do Rio 2008 e fará parte da "Première Brasil Documentário". Será exibido no dia 30 de setembro, às 22h30m, no Cine Odeon, em sessão fechada para convidados. As sessões abertas para o público serão nos dias 01/10, às 13h15m, no Odeon Petrobras, e no dia 02/10, às 13h30m e 20h, no Estação Vivo Gávea 3.

As filmagens começaram logo no início da década de 80, quando Branco Mello comprou uma câmera VHS para registrar tudo o que acontecia com os Titãs nos shows, estúdios, quartos de hotéis, aeroportos, ensaios, enfim, os bastidores do intenso convívio da banda. Por mais de duas décadas Branco e seus companheiros captaram e arquivaram sons e imagens em vários formatos como VHS, Hi-8, Super 8 e mini DV.

Em 2002, Branco convidou o premiado diretor Oscar Rodrigues Alves para juntos dividirem o roteiro, a montagem e a direção do filme. Eles partiram das mais de 200 horas de material original organizado pela produtora Angela Figueiredo. De uma ampla pesquisa nas emissoras de TV, vieram os programas de auditório, videoclipes e entrevistas. A soma desse conteúdo revela personagens incríveis e momentos inesquecíveis: o início underground em São Paulo, o primeiro sucesso “Sonífera Ilha”, as prisões por envolvimento com drogas, o antológico show “Cabeça Dinossauro”, os bastidores das gravações do álbum “Jesus Não Tem Dentes no País dos Banguelas”, o sucesso nos grandes festivais, as saídas de Arnaldo Antunes e Nando Reis, a morte trágica de Marcelo Fromer, as viagens pelo Brasil e o mundo.

O resultado é um documentário musical de longa-metragem que não apenas conta a história da banda, mas mostra a irreverência, a emoção, o bom humor e as aventuras dos Titãs desde os primórdios até hoje em dia. A história dos Titãs, contada pelos próprios Titãs.



SINOPSE

Os Titãs contam sua própria história. Quando o disco “Cabeça Dinossauro” foi lançado, Branco Mello comprou uma câmera já pensando em fazer um documentário e com seus companheiros de banda começou a registrar tudo que acontecia com eles naquele momento de explosão musical dos anos 80. O resultado é um filme com ritmo de aventura, cenas inéditas da vida dentro e fora dos palcos, gravações de álbuns antológicos e de grandes sucessos desde os primórdios até hoje em dia.

Branco Mello e Oscar Rodrigues Alves - Foto: Paulo Wainer

2 comentários:

Anônimo disse...

Arrebenta Elias!!!!!

André Music

Juliana Lazarim disse...

Acabo de assistir (pela segunda vez) ao documentário "Titãs - a vida até parece uma festa" e achei simplesmente sensacional! Muito emocionante, faz a releitura da história dessa incrível banda, em seus momentos de criação, diversão, alegrias e tristezas! Um documento de muita sensibilidade que traduz a história dos Titãs, contada de maneira delicada e divertida. Perfeito! Grande parceria entre Branco e Oscar! É um filme para todos que gostam de boa música e, principalmente, para essa molecada que não tem mais a chance de ver surgir uma banda que começou com oito talentos inigualáveis em criatividade, musicalidade, bom humor, inteligência e muito amor!